Sábado, 25 de Outubro de 2008

- Geo-Raid Ald. Xisto 08

Geo-Raid aldeias de Xisto - 25 e 26 de Outubro de 2008

 

Geo-Raid Aldeias de Xisto, impossível esquecer…

 

 

No passado fim-de-semana de 25 e 26 de Outubro realizou-se o 1º Geo-Raid Aldeias de Xisto. Uma prova de resistência em autonomia que dita quem realmente é dotado de conseguir reunir todas as capacidades de desafiar-se a si mesmo perante 162 km de BTT no seu estado puro. 71 equipas tiveram a ousadia de desafiar a serra da Lousã numa rota repleta de paisagens deslumbrantes.

 

Dia 25 (96km/4063 m. acumulado)

Comecei esta aventura bem cedo, saindo da zona de Lisboa pela madrugada em direcção à Lousã. Muitos já se encontravam desde a véspera, onde puderam contar com o briefing para os ajudar nas mais pequenas questões. Na Lousã a temperatura rondava os 4 graus, mas com o envergonhado nascer do Sol, lá animamos para começar esta grande aventura. Esta prova tem um carácter diferente de quase todas as que encontramos por todo o país, além de ser uma prova de resistência em autonomia é também feita em equipas de dois elementos, não só é bom para a entre ajuda entre equipas como também para a segurança e espírito aventura de cada participante. Com os handicaps atribuídos de forma imparcial, ás 08h30m partiu a primeira equipa, e as ultimas ás 09h30m. Depressa os trilhos da Lousã foram alvo de invasão por parte das equipas desejosas por domar esta serra maravilhosa. Com uma subida com cerca de 13km dava bem para sentir a imponência desta zona. Seguidamente começamos a descer para uma das primeiras aldeias de xisto. Em Gondramaz era notável o trabalho de recuperação desta pitoresca aldeia. Simplesmente maravilhosa. Pedalando sempre rodeado de grande vegetação e árvores ascendemos até zonas mais altas, perto dos 950 m., mas como tudo o que sobe tem de descer, largamos travão em direcção a Louçainha, passámos ainda num single-track rochoso que fez a delícia de alguns.

De notar que para além de termos de saber gerir bem o esforço da equipa, temos também que ter muita atenção ao GPS, tendo uma adaptação serena para quem não costuma utilizar, pois a grande velocidade ás vezes surgiam algumas dúvidas para onde seria o caminho certo, há que saber interpretar bem e encontrar o equilíbrio certo. Daqui para a frente ainda se encontravam mais umas ascensões um pouco complicadas até passarmos Ferraria de S. João onde seria sempre a descer a grande velocidade passando por Casal de S. Simão, mais uma aldeia de xisto com um trabalho notável de recuperação, submergindo nas fragas com o nome da aldeia. Sem dúvida seria um dos pontos altos desta jornada apreciados por todos os que lá passavam.

Agora subindo em direcção a Ana de Aviz, onde se encontra uma praia fluvial fantástica, daqui em diante seria uma das zonas mais exigentes do percurso com subidas bem acentuadas, indo em busca da cumeada onde se encontrava os geradores eólicos por entre estradões largos.

Transpondo esta zona e seguindo rumo a Catraia, foi sempre a rolar bem em zonas de grandes bosques onde nos faziam as delicias de umas belas descidas como de paisagens maravilhosas rumando finalmente e volta à Lousã. Depois de um belo petisco na sede da Filarmónica era tempo de descansar e recuperar para o dia seguinte. Ainda deu tempo para ver um filme de João Garcia, o nosso alpinista, que rumou junto de todos nós neste Geo-Raid, também na companhia de Bruno Pais, duas grandes figuras conhecidas que amplificaram esta prova.

 

Dia 26 (66km/2035 m. acumulado)

Depois do pequeno-almoço tomado, viu-se na cara de alguns o empeno do dia anterior.

Seria menos quilómetros mas o desnível altimétrico era bem inferior, o que poderia ser um ponto de encorajamento. Mas a serra da Lousã não se deixa domar assim tão fácil, e seguindo caminho logo se constatou que a primeira subida seria qualquer coisa como 20 km basicamente sempre a subir até ao alto do Trevim rondando perto dos 1200m de altitude. Mas depois de lá chegado todo o esforço vale a pena, a paisagem é simplesmente de cortar a respiração, visualizando-se várias cumeadas de serras nas redondezas, como a do Açor e da Estrela. Descendo agora pelo Vale do Coentral iremos conquistar o segundo ponto alto do dia, também este a rondar os 1200m. Aí chegados e percorrendo a pista de Aeródromo alguns tentaram levantar voo sem sucesso. Tendo conquistado tamanha altitude era tempo de descer, passando em mais umas aldeias de xisto, Aigra Velha e Aigra Nova e Comareira onde se iniciava uma das mais divertidas descidas de toda esta jornada. Mais a frente e com muita técnica e por vezes a pé, descemos até ao Rio Ceira onde os bravos companheiros de pedaladas passaram a pé por dentro do rio gelado, mas de beleza espectacular.

Daí seguindo sempre na companhia do Rio Ceira serpenteamos por um single-track até Serpins. Daí cruzamos novamente o Rio Ceira para acabar nos trilhos até entrar na Lousã. Estava completa a jornada. Depois de mais um petisco foi hora de entrega dos diplomas e de conhecer os verdadeiros campeões desta prova ímpar.

 

É certo que esta prova tem bases diferentes das maratonas normais, exigindo um compromisso mais sério entre a pessoa, a bicicleta e a natureza, que no final dá vontade de repetir logo no dia a seguir pois criou-se um óptimo ambiente entre as equipas. Este ano foi só uma amostra do que vem aí, pois serão 3 provas realizadas em diferentes pontos do país, mas sempre realizada com o maior rigor e profissionalismo. Todos estão de parabéns, mesmo aqueles que não conseguiram acabar, mas só pelo facto de terem desafiado esta imponente serra já merecem todo o reconhecimento. À organização do Geo-Raid Séries tenho a dar os meus parabéns por todo o profissionalismo, simpatia e segurança empregues nesta prova, simplesmente espectacular, e sem dúvida todos os objectivos foram superados. Fica um especial agradecimento ás 25 pessoas que constituíam o staff, sempre prontos a ajudar, à Câmara Municipal de Lousã, Associação para o desenvolvimento das Aldeias de Xisto, aos Bombeiros da Lousã, Miranda do Corvo, Penela e Góis sempre a postos em qualquer zona, à Movijovem e também à nossa preciosa revista que era parceira nesta grande aventura.

Indo agora ás qualificações, assim em 1º lugar ganhou a equipa CLA/Fundiarte/Tangerina, composta por Fernando Duarte e João Paulo Marques com o tempo de 8h24m57s, seguido de equipa Snake Bite, com os riders Tiago Silva e Nuno Valadas com o tempo total de 8h38m02s e em 3º ficou a equipa 100% Energia/Tangerina, formad por José Maria e João Miguel Garcia que conseguiram acabar as 2 etapas com o tempo de 9h00m35s.

 

Mais fotos no Álbum de Fotos BTT ou aqui

Carlos Vitorino às 10:11
|

MENU

RESCALDOS

- 2º Encontro Cannondale

- Pedestre no Barril

- Geo-Raid Estrela '10

- 1º Encontro Duros '10

- Alvalade-P.Côvo 2010

- Idanha/Zarza 2010

- Open BTT Cartaxo 2010

- Trilhos de Ota '10

- Geo-Raid Ald. Xisto 08

- 4º Raid Oeste '08

- Raid Selinda BTT 2008